Como vim parar aqui?



Datado no domingo a noite. Passei sozinha por aquele caminho, sentei-me no sofá da sala e desabei a chorar. Há um tempo para o impulsionamento de Deus. Ele chama a nossa atenção de alguma forma para que não acordemos na manhã seguinte no meio de um enorme vazio, por mais que ele não possa nos obrigar, ele nos avisa de algum jeito para que não tomamos rumo no nosso próprio caminho onde não tem vida.

Domingo foi o dia em que meu coração mais ficou apertado. Em que a conversa com a amiga fez-me perceber onde eu estava e o que eu tinha feito. O constrangimento me sobreveio e eu me entristeci completamente. O pior era saber que eu estava negligenciando minha comunhão com Deus. Às vezes caímos em situações onde descuidamos do nosso relacionamento com o Pai. E acredite esse é um dos piores vazios, onde não temos nosso bom e melhor amigo, Espírito Santo. Desliguei a tela, e sentei-me no sofá já com as lágrimas caindo pelo rosto. Entreguei meu coração a ele e em clamor pedi para que ele não me deixasse por que ele é tudo o que eu tenho, é tudo o que eu preciso.

Onde nosso coração está? O que temos feito? Será que o nosso coração está cheio de egoísmo? Será que ele tem preferido suas próprias escolhas ou tem optado por fugir do desânimo, tem optado não seguir seu próprio caminho e amar a Deus sobre todas as coisas? Nosso interior, nossa natureza tem falado mais alto? Precisa amar o Senhor verdadeiramente, precisamos ir em direção e seguir o alvo correto. Não existe vida fora de Deus, não existe plenitude fora de Deus. Ele é tudo o que nós temos.
Tecnologia do Blogger.