Enquanto o meu melhor amigo presta atenção em mim (Ou Deus, Ou Teresa)

Pela primeira vez seus olhos enchem de lágrimas e num rápido passo ela sai do quarto, antes pegando sua bolsa antes de ir. Mais uma! Talvez eu nunca mais a veja... Ela é tão imprevisível, tão nariz empinado! Não sei como fui me meter nessa... Olho para baixo, pois eu sei e tudo começou com a volta dela.

Nós dois não costumávamos a ficar tão perto por tanto tempo. Sempre demos um jeito de ficar juntos não sei por que, mas desde que nos entendemos por gente brincávamos e aprontávamos, até a mãe dela nos ver juntos e arrastá-la para longe também. Todo mundo me dizia para ficar longe dela, mas eu gostava de ficar perto e até hoje sinto isso. Por mais que ela seja maluca eu gosto dela. Mesmo que às vezes ela mereça castigo por agir como uma criança mimada, ela é importante para mim...

Tecnologia do Blogger.