Pillowtalk

Que a gente possa se concentrar nisso daqui um tempo... Querido amor, que a gente nunca se deixe levar pela monotonia do Netflix esquecendo que conversar é a melhor coisa que a gente faz. Olhar nos olhos, saber como você está e viajar entre dedos entrelaçados com uma sensação de que temos o resto da vida e do mundo para percorrer entre a nossa conversa de travesseiro, ou à mesa ou por aí.

Olhando assim eu imagino o quão agradável pode ser te ouvir, prestar atenção em cada detalhe que você me expressa e me deixa saber. Amo a ideia de eu ser sua menina que guarda o que você compartilha e está bem guardado no fundo dos seus pensamentos, isso é precioso para mim. Quando a sua voz ecoa por mim, posso me concentrar em não ser egoísta, mas te ouvir e tentar te fazer feliz sabendo exatamente quem está na minha frente.

Uma mulher é um mundo, ela tem pensamentos, sonhos e desejos, ela é um ser e sabe-se lá o que passa na mente dela! Ela tem o poder de construir um lar ou destruir tudo, ela pode fazer o que quiser quando bem entender, pois só ela sabe o que se passa na mente dela. Mas quando sabendo que eu sou exatamente assim escolho te ouvir e não obstante, sou ouvida, querida e compreendida por você tudo muda.

Nosso maior prazer vem de um querer do outro a felicidade, em doar-se e fazer o que importa sobre o coração. Chamar de amor, apaixonada enquanto conversarmos sobre o travesseiro e em nossa intimidade traçarmos planos, ideias, sonhos juntos será tão divino que só Deus para me proporcionar algo tão intenso e profundo que está acima dessa atualidade superficial cheia de prazeres egocêntricos de que para nada serve. Quero me concentrar no seu olhar para mim, no seu falar, em quem você é que amor não se mede, mas se vive.

09/04/2016
Tecnologia do Blogger.