Nenhuma "homofobia" do universo se compara, em quantidade e intensidade, à virulência assassina da propaganda anticristã

A força da hegemonia: Como é possível que cento e poucos homossexuais assassinados (a maioria sem provas de motivos homofóbicos) no meio de setenta mil vítimas anuais de homicídio continuem valendo mais como argumento do que 150 mil cristãos assassinados no mundo no mesmo período? Nenhuma "homofobia" do universo se compara, em quantidade e intensidade, à virulência assassina da propaganda anticristã, e no entanto o establishment nacional -- mídia, universidade e políticos -- ainda age como se o "preconceito", a "discriminação", a "exclusão dos diferentes" fizessem dos gays as vítimas por excelência.

Olavo de Carvalho
Tecnologia do Blogger.