Não deixo os padrões do mundo me oprimirem

Como temos sido tão fracos e deixamos tudo nos afetar, onde estão as nossas referências que nos instrui sobre a vida e que nem tudo precisamos engolir, nem tudo precisamos deixar fazer parte da nossa vida, nem tudo precisamos deixar nos afetar e nos oprimir? Nós temos o poder de escolha, e principalmente correr em direção ao que importa.

Em cada parte da vida onde eu vejo um padrão do mundo distorcido sempre replicado em vários lugares como em sites, revistas e mídias, até no discurso de muitas pessoas, etc., eu posso reagir de um jeito em deixar aquilo fazer parte da minha mentalidade ou alcançar o conhecimento de um outro lado, do que não é padrão, mas é a verdade sobre ser e viver de forma saudável.

Aprendi isso cedo, e mais ainda, aprendi a discernir o real do irreal, a moda vulgar passageira e de mau gosto, e as beleza que toca até o coração. Eu tive pensamento próprio por que tive pessoas e referências sobre beleza, sobre o que é elevado, sobre o que é maior que esse mundo e todas as coisas superficiais, momentâneas, e sem valor para fazer a minha escolha do que eu devia seguir e o que eu não devia. Existem coisas que já nos toca, como se a beleza própria disso transcedesse a nós mesmo. Existe uma certa classe que eu posso me apegar, e mais ainda o que Deus tem a me mostrar.

Deus nos deu Jesus, ele nos deixou sua Palavra para seguir a vida e quando falhamos ou não entendemos como discenir, o que fazer, e como ser nele, ainda podemos achar as respostas certas. Jesus é a minha referência, e quando eu olho no espelho espero não ver apenas uma aparência, um corpo que logo passará. Os padrãos se tornam nada diante do que entendi em Deus que eu posso me amar do jeito que eu sou mais do que ter na minha mente uma beleza relativa. Essa é a moda de hoje, o novo padrão que beleza é relativo, que certos conceitos são relativos, mas eu não acredito nisso, não me importo nem com o velho e nem com o novo padrão.

Eu entendi que posso não apenas me amar do jeito que eu sou - ainda que não me contente com as minhas falhas até por que posso melhorar as coisas. Aprendi a me amar, desde o meu cabelo, a minha altura e os meus olhos, mas mais ainda por que sou alguém, sou uma pessoa, que não tem apenas uma cor, um corpo, mas alma e espírito. Isso vai além do que ter certas medidas, que ter publicações que mostrem partes do meu corpo para que os olhos menos admirosos o vejam.

Nada disso tem muito valor para mim, por que os meus olhos sobre quem sou, sobre como ser, sobre o discernimento do bom e ruim, do saudável e do doentio, sobre a beleza e sobre a referência da vida que eleva a melhor parte de mim estão em Deus e isso não é relativo, mas concreto. Nele não sou fraca mais, nem oprimida, mas livre crescendo em conhecimento e sabedoria, e amor.

Há alegria em Deus, e amor o que é maior que tudo, que a carência e o vazio e o resto que possa tentar me oprimir por que encontrei a referência que é maior que tudo isso, o dono da liberdade, o que criou o mundo. Eu estou nele, e por ele fui adotada, cuidada como filha. E me amando muito espero encontrar aquele que me inspirou a isso, espero encontrar em mim a identidade de filha de Deus, espero encontrar no profundo dos meus olhos, Jesus, por que ele me amou primeiro e eu escolhi amá-lo também.

Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece. - Filipenses 4:13
Tecnologia do Blogger.