Eu não quero Jesus de brincadeira

Eu não posso me contentar com o raso, preciso ir mais profundo sobre ter Jesus comigo. Eu preciso lutar pelo meu relacionamento com o meu Príncipe, preciso acordar dessa passividade de achar que eu já cheguei num ponto, ainda tenho sede, Jesus quer mais de mim então eis me aqui. Essa guerra de se opor ao que me faz regredir, ser inconstante com ele, é tão necessária por que eu não quero Jesus de brincadeira. As pessoas que permanecem nele e vão até o fim sobre todas as consequências de ter Jesus encontram o que procuram, o que os olhos de ninguém ainda viu.

O relacionamento com ele não é para quem desiste, mas para quem que ainda que esteja se arrastando continue colocando suas afeições, devoções sobre os pés de Jesus. É aí que a gente aprende a amar, e que pode se doar inteiramente por alguém, foi assim que Jesus fez por nós e pelo Pai. Eu estou cansada, não quero um relacionamento de brincadeira, não me contento em não conhecer Jesus. Eu quero conhecê-lo mais por que tenho o visto, ouvido e tocado no que ele tem feito.

Sua fidelidade não tem fim, e mesmo quando estou prestes a cair vejo-o ali do meu lado me ajudando a aguentar mais um pouco. A vida com Jesus é para quem permanece, esses serão salvos. Se a gente desistiu num ponto, se paramos de buscar por mais em algum momento ainda dá tempo de continuar e prosseguir. Chega de brincadeira, de se concentrar em tudo, em todas as pessoas, em todas as lutas e menos em Jesus. Nada tem o valor que ele tem, nada é como ele é. Jesus está nos levando de volta a Deus, e repartindo conosco sua família. É hora de começar a entregar-se mais para ele, e lutar por isso todos os dias. É mergulhar fundo, simplesmente mergulhar, jogar-se nesse oceano!

Abaixo deixo uma linda canção da Bethel Music, não apenas para refletir no assunto, mas para entregar o coração à Jesus:

Tecnologia do Blogger.