Chega de cair na luta de classes

Amar ao próximo ajuda muito quando se trata de reconhecer uma soberania nacional. As pessoas que estão ao meu redor são tão diferentes de mim em vários jeitos, por exemplo, algumas possuem alturas diferentes, cor, condição social, e em todas personalidade. Cada pessoa é única, alguns tem pontos em comum sobre certos pensamentos, como de liberdade de expressão, de ir e vir, e enfim outros tem perspectivas diferentes por outras razões, mas quando se pensa na soberania de um país, e na importância de um povo como um só o amor é essencial.

O amor à pátria, e a visão de que as pessoas da minha nação é um povo comigo por sermos do mesmo país, é algo que anda junto. Nos dias de hoje é algo completamente importante não apenas pensar na soberania do povo do meu país, onde o que nos mantém bem, seguros, e a salvos como nação, mas também por seguir o que Jesus nos orienta em sua Palavra sobre o amor. Existem forças lutando para que as nações no mundo se fragmentem, e como Jesus disse uma nação divida não subsiste, ela irá desmoronar.

Por mais que a minha nação seja imperfeita, e tenha falhas grandiosas, não posso desistir do amor que Jesus me instruiu. E, enquanto me levanto, posso ficar de pé para ajudar outras pessoas a permanecer de pé também em questão dessa visão. Não correndo para uma luta que só fará com que eu, e o resto das pessoas, perca a liberdade, amarrados pelo politicamente correto ainda por cima. Ficar num grupo A, ou grupo B, para lutar contra o outro por coisas absurdas que não estão em primeiro lugar quando a visão é sobre uma soberania nacional, o crescimento e melhoramento do povo da minha nação, só fará com que eu perca feio.

O que se passou em Charlottesville chamou a atenção das pessoas e é um exemplo, por causa do quão surreal foi aquilo. Sei que não foi algo simplesmente espontâneo, mas orquestrado por forças que querem ver uma nação desestabilizada, onde as pessoas não tem esse senso de amor ao próximo independente da cor, da escolhas individuais, religião, e política. Não apenas o preconceito, mas o ódio, e a desinformação da grande mídia faz com que muitas pessoas caem numa armadilha. Nenhum grupo extremista, de um lado ou de outro, promovendo violência e ódio tem razão. Com certeza não alcançará a minha filiação.

Mas o verdadeiro nacionalismo sim que me lembre sobre o amor ao próximo e o veja - independente das diferenças - como parte do mesmo povo que eu faço parte e portanto lembra que devemos trabalhar de verdade para que nossa nação seja um bom lugar onde nós, como povo, habitamos. O problema foi muito maior para se resolver criticando um grupo ou outro. O amor - como bem lembrando pelo presidente Donald Trump, em seu discurso sobre o assunto - em ação, e em favor do próximo conduz uma nação a ir muito mais longe. A realidade é que existem várias pensando diferente até nisso, preocupadas mais com ideologias e lutas de classes, porém aqui estou eu levantando-me para ajudar a minha nação a ir muito mais longe numa visão maior, uma visão sobre o amor ao próximo.
Tecnologia do Blogger.