Pra onde eu irei se eu não tenho pra onde voltar?

Antes do sopro de vida de Deus, soprado direto para mim, percorrer pelo meu corpo eu era apenas pó. Eu era uma coisa informe, e não tinha nada. Eu nem mesmo existia, não tinha identidade, nem sabia o que querer. Na verdade eu era cativa de mim mesma, da minha falta de vida, do meu estado sem vida. E agora? Eu não simplesmente não tenho pra onde eu voltar, na verdade eu não quero voltar.

Eu só tenho a vida de Deus a minha frente, anunciada por Jesus e isso é muito mais do que o suficiente! Isso é mais, muito mais, do que eu mereço, do que eu poderia conhecer. Antes eu não sabia de nada, e mesmo se eu pudesse pensar que sabia de tudo o que eu precisava, hoje vejo a verdade e a verdade me agarrou; tomou-me como filha, fez eu ser mais do que eu poderia sozinha.

Não se trata do quanto eu fui beneficiada, não é sobre mim. Eu estou colocando a minha esperança na Verdade e na própria Vida. Estou me apegando aquele por quem tem me chamado, e eu me interesso por ele; só por ele. Eu me interesso por quem ele é, pelo o que ele pensa, por sua personalidade, pelo o que tem dito e por que pode dizer amanhã.

De pó a filha amada, eu entrego meu coração a quem tem todo o meu prazer, a quem me convenceu com a própria vida. Não há para onde voltar, não há mais o que fazer e que bom! Eu não quero me perder de Deus, não quero me perder do meu Pai.
Tecnologia do Blogger.