#MarchForOurLives involuntariamente só beneficia bandidos

Você sabia que armas não matam, mas pessoas sim? É esclarecedor refletir nisso. Afinal de contas, acontece hoje (24/03) o evento "March for our lives", organizada pelos sobreviventes do tiroteio numa escola em Parkland, na Florida, em Fevereiro. O evento acontece com protestos em favor de uma política mais rigorosa pelo controle de armas nos Estados Unidos - e em outros lugares como Reino Unido - apoiado maciçamente pela classe artística tais como Demi Lovato, Lady Gaga, Ariana Grande, Miley Cyrus.

Muitos estudantes, fãs da classe artítistica que está apoiando os eventos, estão todos engajados em que armas nos Estados Unidos - e em outros lugares do mundo - tenham um difícil acesso acreditando assim estar livre de sofrer atentados com armas, tais como já aconteceram nos Estados Unidos em áres escolares, assim como em show como o da Ariana Grande no Reino Unido. O mal para todos esses está intrinsicamente conectado a arma.

No início desse artigo está uma afirmação baseado nna verdade que é a de que armas não matam, mas pessoas sim. O mal não está intrinsicamente numa arma, mas no próprio ser humano que pode carregá-lo. E quando eventos como esse acontecem baseado no medo de pessoas que sofreram atentados com armas, ou viram de alguma forma atentados desse tipo, eles acontecem baseado no medo de atentados que criminosos - não pessoas comuns carregados de valores cristãos, obedientes inclusive a leis e políticas sobre armas - e terroristas usaram armas até mesmo proibidas de serem comercializadas.

Criminosos usam armas, e eles foram responsáveis pelo terror com armas onde muitas dessas pessoas no "March for our lives" também estiveram. Criminosos não respeitam leis, nem políticas de uso e comercialização de armas. Eles não se preocupam em comprar armas legalmentes, enquanto que terroristas - como do evento infeliz no show de Ariana Grande aconteceu no Reino Unido - utilizam de bombas caseiras para aterrorizar pessoas. Só existe uma coisa que pode parar um criminoso/terrorista armado, que é exatamente uma outra pessoa armada.

Quando governos retiram de seu povo o direito a portar uma arma para se defender, ele não retira do criminoso que obviamente não responde a leis e muito menos se preocupa em comprar uma arma legalmente. Apenas pessoas comuns, que agora passam a dependender de um Estado incapaz de denfedê-lo ficará sem arma para se proteger. Pessoas trabalhadoras, pais de família, preocupam-se em comprar uma arma legalmente apenas para o uso de autodefesa. Tirar isso de trabalhadoras e pessoas de bem é o mesmo que entregar ovelhas a raposas, pois ninguém fará uma marcha pedindo a criminosos que entreguem suas armas. Nem mesmo um protesto de uma justiça mais rigorosa para criminosos e menos impunidade para que eles sim que tem o objetivo de matar pessoas fiquem sem armas.

É um tanto curioso por que pessoas em muitos lugares, estudantes e seguidores de classe artística pedem para que pessoas que querem se defender deixem de possuir armas para esse fim, ao invés de criminosos e terroristas que são realmente vilões que não se preocupam com o próximo. Crimonosos esses que quando vão utilizar suas armas, utilizam em lugares "gun free zones", ou seja lugares livres de armas com em escolas, e locais como a maioria de atentados acontecem e já aconteceram inclusive onde pessoas da "March for our lives" estiveram e experimentaram infelizmente desse terror na mão de criminosos. Governos de esquerda fizeram lugares livres de armas, nos EUA e foram esses lugares que sofreram atentados muitas vezes nos Estados Unidos.

Agora, como uma solução oferecida não só por jovens comuns, estudantes, e seguidores da classe artística, mas também políticos de esquerda é retirar armas de cidadãos, ao invés de criminosos que são quem realmente usa para fazer o mal. O Brasil é um exemplo disso. Em 2005 houve um plebiscito sobre a proibição da comercialização de armas de fogo e munições, onde a maioria do povo era contra, mas foram desrespeitados pelo governo esquerdista que retirou dos cidadões suas armas, e ainda se manteve muito mais rigoroso a liberação de armas no Brasil. Desde 2005 crimes e assassinatos aumentaram drasticamente.

Além das pessoas não poderem se defender, a impunidade aumentou muito. Acontecem por ano no Brasil mais de 60 mil assassinatos por ano que é muito maior do que nos Estados Unidos onde a população está armada. Depois do Estatuto do Desarmanento o Brasil se tornou um lugar mais perigoso que lugares como a Síria. Armas não matam sozinhas. Pessoas matam. Não são qualquer pessoas, mas criminosos que o fazem intencionalmente na maioria das vezes. Apoiadores da "March for our lives" aqui no Brasil se questionam por que brasileiros querem o armamento para o nosso país.

A resposta é por que pessoas comuns querem se defender, pois não possuem jatos, nem carros blindados ou segurança muitas vezes armadas como a classe artística tem, ou casas muito bem cercadas, com muros e proteções. Os brasileiros veem todos os anos como o Estado é incapaz de os proteger, assim como o Estatuto do Desarmamento não deu certo, e mais pessoas morrem sem poder se proteger todos os anos. Ao contrário de um lugar onde a arma é melhor comercializada como nos Estados Unidos. Eles sabem que pessoas matam, mas armas não. E também sabem que só uma coisa pode parar um assassino armado que é outra pessoa armada.
Tecnologia do Blogger.